O piloto do Boeing 777 da Asiana Airlines não conseguia ver a pista momentos antes do acidente, no aeroporto de São Francisco, nos Estados Unidos, porque a aeronave estava muito inclinada para trás, informaram os investigadores na terça-feira.

A agência de segurança dos transportes norte-americana (NTSB), responsável por investigar as causas do acidente, concluiu que o avião se aproximou da pista a uma velocidade inferior à normal e que voava muito baixo.

A presidente da agência, Deborah Hersman, declarou na terça-feira em conferência de imprensa que os dois pilotos já foram interrogados e que um deles confirmou que o voo de sábado foi a sua «primeira experiência operacional num 777», outro disse que também foi o seu «primeiro voo como piloto instrutor» e um terceiro explicou que não «via a pista do seu lugar», na parte traseira do cockpit.