O quintal da casa de Calebe faz fronteira com uma Área de Proteção Ambiental do município de Presidente Figueiredo, que se localiza a 107 quilómetros da cidade de Manaus. De acordo com a mãe, Maria Teixeira, Robinho e o filho são inseparáveis e costumam brincar fora de casa todos os dias. No entanto, naquele domingo tudo mudou.

 

"Fiquei em desespero. Procurámos em todos os sítios. Ninguém podia fazer nada. Fomos à polícia, aos vizinhos, mas ninguém o viu. Tivemos que esperar pelo amanhecer para procurarmos novamente. Não sabia mais o que fazer".

Segundo Maria, Calebe estava a brincar com o animal no quintal quando desceram uma ribanceira e desapareceram sem deixar rasto. O alívio só chegou mais de 24 horas depois, quando habitantes de um bairro vizinho, situado a dois quilómetros de distância, avistaram o rapaz e cão a saírem da floresta.

 

"Calebe foi levado para o hospital porque estava muito desidratado e nem conseguia falar. Estava muito abatido. Foi fundamental a ajuda do Robinho, porque o cão andou na mata e passou a noite inteira com o rapaz. Robinho tornou-se o nosso herói", diz Mónica Regina, conselheira tutelar.

Calebe apenas sofreu algumas escoriações e encontra-se são e salvo.