Um homem de 26 anos confessou à polícia brasileira ter matado 41 pessoas, das quais 37 mulheres, três homens e uma criança.

Saison José das Graças relatou sobre os crimes na delegacia, após ter sido detido em flagrante, em Nova Iguaçu, pelo último assassínio realizado.

Segundo o delegado responsável pelo caso, citado pelo portal brasileiro «G1», o assassino contou os crimes com frieza e sem arrependimentos. As suas vítimas eram preferencialmente mulheres brancas.

No depoimento, o homem deu detalhes de como planeava os crimes e explicou que passava dias a observar as vítimas para perceber os seus hábitos, residência, família, e então, «numa brecha», «numa facilidade», entrar na casa.

Com aparente sinais de psicopatia, o suspeito afirmou ainda que, após os crimes, ficava «mais tranquilo».

«Quando eu não fazia, eu ficava nervoso, andava para lá e pra cá dentro de casa. Aí, quando eu fazia, já ficava mais tranquilo», afirmou o serial killer.


O assassino disse ainda não sentir qualquer remorso ou arrependimento e garantiu que, quando deixar a cadeia voltará a fazer o mesmo.

«Se eu sair daqui a uns 10, 15, 20 anos, eu vou voltar a fazer a mesma coisa. É a vontade mesmo, não tem jeito», declarou.


O delegado responsável informou que o depoimento é credível devido à riqueza de detalhes, que só quem estivesse no local poderia confirmar. Em alguns dos crimes confessados, dados específicos, como em que divisão da casa a vítima foi morta, coincidiam com os registos da polícia.

A investigação dos casos anteriores, registados ao longo dos últimos nove anos, será agora retomada. A polícia pretende obter mais detalhes ouvindo os familiares das vítimas.