As autoridades russas detiveram mais de 1200 pessoas, após um protesto violento, no domingo, num bairro residencial de Moscovo, contra a imigração ilegal. Os números são avançados esta segunda-feira pela imprensa russa

A polícia anunciou ainda ter encerrado um armazém de venda de vegetais, frequentado sobretudo por imigrantes, e apreenderam um carro com armas e dinheiro que encontraram no local. No domingo, o espaço transformou-se no palco principal do protesto anti-imigração e a polícia foi obrigada a invadir o local. Só aqui foram detidas quase 400 pessoas.

Um protesto que juntou moradores e ativistas nacionalistas irrompeu no final da última semana, depois de um jovem de 25 anos ter sido esfaqueado até à morte, alegadamente por um imigrante de origem asiática.

Moradores alegam contudo que a morte do jovem foi apenas a gota de água e alegam que há muito têm vindo a pedir o encerramento do armazém, situado a poucos metros de um bairro residencial, provocando elevados níveis de ruído, circulação de camiões e uma grande concentração de imigrantes. Sublinham que os níveis de criminalidade na zona aumentaram muito.