O chefe da missão de observadores da União Africana que fiscalizou as eleições no Zimbabué veio esta sexta-feira afirmar que o ato eleitoral no Zimbabué foi «livre, honesto e credível».

Olusegun Obasanjo refere que «os incidentes» ocorridos durante a votação para as eleições parlamentares e presidenciais que teve lugar na quarta-feira «não influenciam o resultado», cita a BBC. A União Africana voltou atrás na palavra, já que antes havia dito que ato eleitoral estava «seriamente comprometido».

o candidato Morgan Tsvangirai reclama fraude nas eleições, ao passo que Robert Mugabe, no poder há 33 anos, já canta vitória.

A comissão eleitoral tem cinco dias para apresentar os resultados finais das eleições.