Um explorador alemão foi resgatado, esta quinta-feira, depois de ter ficado 274 horas preso numa caverna com mais de mil metros de profundidade, no sul da Alemanha.

De acordo com a BBC News, foi preciso uma semana para socorrer Johann Westhauser, um explorador que se feriu a um quilómetro de profundidade, no complexo de grutas de Riesending. Mas só esta quinta-feira, passados 12 dias após o acidente, é que Johann Westhauser voltou à superfície.

O incidente começou a 8 de junho, quando o explorador alemão, de 52 anos, foi atingido na cabeça e no peito pela queda de rochas, a um quilómetro de profundidade. Dois amigos que o acompanhavam acionaram o socorro, cujas operações duraram uma semana.

A complexidade das grutas de Riesending impediu que as equipas de resgate utilizassem qualquer tipo de equipamento, como um guincho para deslocação de carga, neste caso, uma pessoa ferida. Johann Westhauser teve de ser carregado, imobilizado numa maca, pelo que só esta quinta-feira regressou à superfície: eram 11:44 (12:44 em Portugal).

O explorador foi de imediato transportado para um hospital.

Johann Westhauser integrou a equipa que, em 1995, descobriu o complexo de Riesending. As grutas e as cavernas são tantas que, apesar de mapeado por várias equipas desde o final do século XX, ainda não são conhecidos todos os limites do complexo.