Confrontos entre militares e supostos elementos armados da Renamo em Mutivaze e Navevene, na província de Nampula, norte de Moçambique, provocaram a fuga de populações para as matas para se protegerem. Esta manhã, em Mutivaze, os poucos populares ali presentes disseram à Lusa que voltaram para as suas casas para arranjar comida e água e procurar crianças desaparecidas.

«Eu vim aqui para ver se encontro um dos meus filhos que desapareceu quando fugíamos aos disparos», disse à Lusa Amisse Taíde, residente em Mutivaze.

O Presidente moçambicano, Armando Guebuza, veio,e sta quinta-feira manifestar a confiança na polícia do país, apesar da violenta onda de raptos que assola o país, sobretudo a capital, Maputo.

Também esta quinta-feira, milhares de pessoas saíra à rua para uma manifestação pacífica em Maputo, em protesto contra a onda de raptos e o espetro da guerra que ameaça Moçambique, acusando o Governo de estar «mudo» e a polícia de «corrupção».