A Rússia respondeu ao Reino Unido após este país ter escoltado os seus aviões militares para fora do espaço aéreo britânico. 
 
Esta semana, aviões militares russos foram detetados a poucas milhas do Reino Unido e Londres acusou Moscovo de voar sem autorização e de, com isso, perurbar o regular funcionamento da aviação civil. 
 
O embaixador russo no Reino Unido, considerou  as preocupações britânicas «injustificadas», de acordo com a BBC, revelando que a atuação daqueles caças russos na quarta-feira não passava de uma «operação de rotina». 
 
«Estes voos (tal como todos os voos de rotina das forças militares russas) foram levadas a cabo com total respeito pelas normas de aviação internacionais e sem violação do espaço aéreo de nenhum país», disse Alexandre Yakovenko, que se reuniu com as autoridades britânicas. 
 
O Reino Unido alega que os aviões russos não comunicaram o seu plano de voo e que perturbaram as rotas da aviação civil sem, no entento, especificar, quais os casos em concreto que foram afetados por estas manobras. 
 
A deteção de aviões russos em espaço aéreo de outros países não é inédito e, por várias vezes, estes militares foram escoltados pelas forças aéreas nacionais.