Os Estados-membros da União Europeia concederam asilo a 135.700 pessoas em 2013, um quarto dos quais sírios, tendo Portugal aceitado dar proteção a 135 pessoas, 15 dos quais provenientes da Síria, revelam dados divulgados esta quinta-feira em Bruxelas.

Os dados do gabinete oficial de estatísticas da UE (Eurostat) sobre pedidos de asilo na UE no ano passado mostram que os sírios, em fuga do conflito armado no país, foram os principais beneficiários, já que, dos 135.700 requerimentos aprovados (contra 116.200 em 2012), um quarto referiram-se a cidadãos da Síria (35.800 pessoas).

Mais de 60% dos sírios que obtiveram asilo instalaram-se em dois Estados-membros, a Suécia (12 mil) e a Alemanha (9.600), revela o Eurostat.

A seguir aos sírios ¿ cujo número duplicou face a 2012 - , os afegãos (16.400 obtiveram proteção na UE, ou seja, 12 por cento do total) e os somalis (9.700, equivalente a 7%) foram os outros principais beneficiários de concessão de asilo na UE.

Já relativamente a Portugal, foi concedido asilo a 135 pessoas (20 com o estatuto de refugiados e os restantes 115 com proteção subsidiária), tendo os principais beneficiários sido cidadãos da Guiné Conacri (25), da Síria (15) e da República Democrática do Congo (10).