A polícia húngara lançou esta quarta-feira gás lacrimogéneo e canhões de água contra os migrantes na fronteira com a Sérvia e nem o repórter da TVI escapou. No entanto, o jornalista não sofreu qualquer ferimento.

No Twitter, o correspondente da estação de Queluz de Baixo, Pedro Moreira, deu conta que António Galvão teve mesmo de ser assistido.
 
A equipa da TVI fazia a cobertura da tentativa de passagem dos refugiados para o lado húngaro, quando foi apanhada pelos novos métodos utilizados pelas autoridades para impedir a multidão de entrar. 

Com o reforço do controlo de fronteiras, e depois de a Hungria ter anunciado na terça-feira um  novo muro e que ia começar a deter quem tentasse passar ilegalmente, muitos migrantes estão em busca do sonho europeu por outros caminhos.  

A Croácia é agora a  nova porta de entrada de refugiados que querem chegar ao norte da Europa. Mas centenas não desistem às portas da Hungria, apesar de o bloqueio estar a ser cada vez mais forte.