O número de refugiados e migrantes mortos no Mediterrâneo desde o início de 2016 diminuiu 24 por cento por comparação com o mesmo período do ano passado, após o reforço da vigilância no norte de África e nas costas da Turquia.

O balanço é feito pela Organização Internacional para as Migrações (OIM), que precisou que o número de mortos entre 1 de janeiro e 21 de maio último ascendeu a 1.370, que compara com 1.792 entre as mesmas datas em 2015.

A mortalidade das travessias no Mediterrâneo reduziu de forma expressiva, em particular nas primeiras três semanas de maio, com 13 mortos, enquanto em maio de 2015 este número chegou a 95 e a 330 no mesmo mês de 2014.