O Alto Comissário da ONU para os Refugiados (ACNUR), Adrian Edwards, informou esta terça-feira que, nas últimas 72 horas, pelo menos 35 mil pessoas fugiram das montanhas de Sinjar, no norte do Iraque, onde outras 20 a 30 mil permanecem presas devido ao avanço dos extremistas islâmicos.

Os refugiados estão a deslocar-se para a cidade de Zakho e para a província de Dohuk, ambas no nordeste do país, onde estão a ser distribuídos alimentos, água e assistência médica para colmatar o estado de desidratação e de esgotamento das pessoas provocado, sobretudo, pelas temperaturas diárias que oscilam entre os 40 e 45 graus centígrados, segundo o porta-voz da organização mundial.



Na cidade de Zakho, que fica a poucos quilómetros da Turquia, as autoridades estão a utilizar escolas e edifícios comunitários para albergar quase 100 mil refugiados que chegaram ao local na última semana.



A ONU está a distribuir colchões, mantas e artigos de higiene.

A organização mundial reconhece que existe uma «enorme generosidade local» para com os refugiados e já foi informada que, para os próximos dias, vão chegar mais pessoas.