A guarda costeira da Grécia resgatou e intercetou mais de 700 refugiados e migrantes este fim de semana ao largo de várias ilhas gregas, refere um comunicado das autoridades gregas divulgado esta .

Segundo a guarda costeira, a maioria das operações de resgate ocorreram junto às ilhas de Lesbos, Kos, Samos e Ikaría, no mar Egeu, uma zona que se converteu na principal porta de entrada para a União Europeia devido à sua proximidade com a Turquia.

Numa das operações de resgate, levada a cabo no sábado junto à ilha de Simi, um imigrante de 17 anos morreu durante um tiroteio entre a guarda costeira grega e presumíveis traficantes.

De acordo com as autoridades gregas, o confronto ocorreu quando vários presumíveis traficantes que dirigiam a embarcação com cerca de 70 imigrantes dispararam contra um navio da guarda costeira helénica e outro da Frontex (Agência Europeia de Gestão da Cooperação Operacional nas Fronteiras Externas, dos Estados-Membros da União Europeia).

No tiroteio, também um elemento da guarda costeira grega e um alegado traficante ficaram feridos, informaram as autoridades.

Além destes 700 indivíduos, chegaram ao porto de Pireu, em Atenas, outras 2.488 pessoas na noite passada a bordo do “Eleftherios Venizelos", a embarcação que nas últimas semanas tem transportado os refugiados e migrantes das costas das ilhas helénicas até à plataforma continental grega.

A maioria dos migrantes foi transportada em autocarros para a estação central ferroviária, de onde partiram rumo à fronteira com a Macedónia, um país que, à semelhança da Grécia, tem sido palco de um vasto fluxo migratório.

O objetivo dos recém chegados, a maioria dos quais refugiados sírios, é chegar ao centro e norte da Europa.

Dados publicados pela Agência das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) revelam que desde o início do ano chegaram à Grécia mais de 180 mil migrantes.

França, Alemanha e Reino Unido querem reunião urgente


Os ministros do Interior de França, Alemanha e Reino Unidos apelaram para a necessidade de realizar uma reunião urgente de responsáveis do Interior e da Justiça da União Europeia “nas próximas semanas” face à crise dos migrantes.

Bernard Cazeneuve, Thomas de Maiziere et Theresa May “pediram à presidência luxemburguesa da União Europeia a realização de um primeiro conselho de Justiça e Negócios Estrangeiros nas próximas semanas para preparar eficazmente as decisões da reunião de 8 de outubro, e avançar com propostas concretas”, indica um comunicado publicado um dia depois de um encontro em Paris de nove países europeus sobre a segurança nos transportes.

Já esta manhã, o ministro dos Negócios Estrangeiros francês, Laurent Fabius, classificou de “escandalosa” a atitude de certos países do leste da Europa perante a crise dos refugiados, a começar pela Hungria.