França, Alemanha e Reino Unido querem reunião urgente