Vários portugueses a viver na Croácia, Hungria, Áustria ou Alemanha têm contactado a organização da Caravana Aylan Kurdi para oferecerem apoio, estando prevista a chegada da ajuda portuguesa à cidade croata de Vinkocvi no final da tarde.

Em declarações à agência Lusa, Maria Miguel Ferreira, um dos membros da organização deste movimento da sociedade civil, adiantou que a viagem, que já vai em quatro dias por estrada, tem decorrido com normalidade e sem quaisquer incidentes.

Mas apesar de a viagem estar a decorrer sem percalços, não significa que não esteja a ser notada e prova disso está no número de portugueses, espalhados por vários países do norte da Europa, que continuam a contactar a organização para oferecer ajuda.

De acordo com Maria Miguel, desde que os primeiros membros da organização chegaram à Croácia, na sexta-feira, por via aérea, que não pararam de chegar ofertas de apoio.

“Fomos contactados, mais uma vez, com manifestações de solidariedade, boa vontade, de portugueses que estão a viver aqui, nestes países, na Croácia, na Hungria, na Áustria, na Alemanha”, adiantou.


Acrescentou que as ofertas de ajuda surgem através de mensagens várias, em que as pessoas perguntam o que é que a organização da caravana precisa e de que forma podem ajudar, oferecendo-se mesmo para descarregar os três camiões TIR que estão para chegar.

"Um português que disse que se nós estivéssemos interessados, ele, através da sua rede de contactos no Facebook, conseguia mobilizar 20 pessoas”, adiantou Maria Miguel, acrescentando que a organização está a procurar dar resposta a todas as manifestações de solidariedade.


Entretanto, os três camiões TIR que compõem a caravana estão a cerca de duas horas do destino final, a cidade de Vinkocvi, onde está localizado o armazém da Cruz Vermelha Croata (CVC), organismo com o qual a organização da caravana está a trabalhar em parceria para fazer chegar os bens doados aos refugiados.

A escolha recaiu na CVC por ser a organização com “capacidade para assegurar a segurança e boa receção” dos vários donativos, tendo sido crucial “a sua escala, boa organização e capacidade de distribuição”.

“Estima-se que os camiões comecem a ser descarregados hoje, sob a nossa supervisão, e na presença dos responsáveis pela gestão de crises humanitárias da CVC. Este armazém da CVC fica localizado nos arredores de Vinkocvi, uma cidade a cerca de 40 km do campo de Opatovac (na fronteira com a Sérvia) e a 30 km da cidade de Tovarnik, que tem sido um ‘hot spot’ de passagem de refugiados nas últimas semanas”, refere a organização.

 
 

A Aylan Kurdi Caravan chegou ao seu destino. A esta hora descarrega-se a primeira palete da ajuda portuguesa. Obrigado!Armazém da Cruz Vermelha Croata, nos arredores de Vinkocvi, a cerca de 40 km do campo de Opatovac (na fronteira com a Sérvia) e a 30 km da cidade de Tovarnik.

Posted by Aylan Kurdi Caravan on Terça-feira, 22 de Setembro de 2015


Maria Miguel explicou que um dos portugueses que seguia na caravana já chegou aos armazéns da CVC para ir preparando a chegada dos camiões.

“Interessa-nos certificar que as coisas são entregues a uma entidade capaz, responsável, como está de resto a acontecer. Interessa-nos depois perceber como é que a Cruz Vermelha se articula no terreno para distribuir”, adiantou.

Nesse sentido, durante o dia de quarta-feira, os vários elementos da organização deverão acompanhar as iniciativas de distribuição junto dos campos de refugiados, estando previsto o regresso a Portugal na quinta-feira.