O primeiro-ministro canadiano, Justin Trudeau , já confirmou a morte de John Ridsdel. A cabeça do cidadão canadiano foi encontrada na segunda-feira em Jolo, nas Filipinas.

O antigo jornalista canadiano, de 68 anos, estava refém de um grupo afeto à al Qaeda. Foi raptado de um resort turístico em setembro de 2015. Dois meses depois, este grupo radical islâmico,Abu Sayyaf, emitiu um vídeo em que pedia um resgate em troca da vida do canadiano. O prazo para o pagamento do resgate terminou poucas horas antes de ter sido encontrada aquela parte do corpo do canadiano, segundo a BBC.

Estou chocado com o anúncio de que um cidadão canadiano, feito refém nas Filipinas, foi morto pelos seus raptores”, disse o primeiro-ministro.

 

Justin Trudeau adiantou que as autoridades canadianas estão a trabalhar em conjunto com as homólogas filipinas para “entregar à justiça” os responsáveis por este “ato hediondo”, de acordo com a citação da CBC canadiana.

Com John Ridsdel foram raptados mais três cidadãos, um deles canadiano. Desconhece-se o paradeiro destas três pessoas.