Um tribunal de recurso do Egito anulou esta quarta-feira a pena de morte decretada a 183 partidários da Irmandade Muçulmana, entre eles o líder da confraria, Mohamed Badie, disse à agência noticiosa espanhola EFE o advogado de defesa Mohamed Tosun.

O advogado adiantou que o tribunal aceitou o recurso apresentado por 36 dos condenados, que estiveram presentes no julgamento, cuja decisão foi pronunciada em junho de 2014.

Os restantes condenados vão beneficiar do recurso apresentado, disse ainda Tosun.