A Organização Mundial de Saúde (OMS) e os Médicos sem Fronteiras (MSF) afirmaram esta sexta-feira que é ainda prematuro falar sobre o possível surgimento de uma nova febre hemorrágica na República Democrática do Congo (RDC).

As autoridades da RDC anunciaram, na quinta-feira, que uma febre hemorrágica de «origem indeterminada» tinha feito 13 vítimas mortais na região noroeste daquele país desde 11 de agosto.

«Muitos morreram com sintomas hemorrágicos, mas também existem casos graves de malária que podem ter este tipo de sintomas, ou a febre tifoide», afirmou, em declarações à agência francesa AFP, um responsável da OMS na capital congolesa Kinshasa, que preferiu não ser identificado.