O Estado Islâmico (EI) solicitou no início do mês um resgate de 17 milhões de dólares (14,6 milhões de euros) à mulher do jornalista Kenji Goto, um dos japoneses reféns do grupo jihadista, informou esta quinta-feira a estação pública NHK.

A mulher de Goto começou a receber em novembro mensagens alegadamente enviadas por alguém ligado ao EI, antes de ter sido exigido um resgate ao Governo nipónico, segundo a fonte citada pela televisão japonesa.

A primeira mensagem informava sobre a captura do marido, mas não ameaçava matá-lo.