A polícia alemã confirmou que o corpo encontrado na segunda-feira num quinta em Meissen, na Saxónia, é, de facto, o da adolescente Anneli-Marie, raptada na última quinta-feira quando passeava o cão perto de casa, e cujos raptores exigiam 1,2 milhões de euros para a sua libertação.

Segundo o Daily Mail, o corpo da jovem foi localizado após informações dadas por um dos suspeitos detidos pela polícia, confirmaram as autoridades durante uma conferência de imprensa.

Dois homens, de 39 e 61 anos, tinham sido detidos ontem por suspeitas de envolvimento no rapto, depois da polícia ter encontrado ADN de um deles na bicicleta da criança, abandonada junto com o cão após o rapto. Os homens foram encontrados através do sinal dos seus telemóveis.

A polícia acredita que os dois suspeitos assassinaram a jovem para que não pudessem ser identificados, já que não terão tapado a casa e poderiam ser reconhecidos pela adolescente.

Os raptores contactaram os pais da jovem pelo menos duas vezes: uma na quinta-feira perto das 20:00 (19:00 em Lisboa), e perto do meio-dia (11:00) na sexta-feira para exigir a quantia do resgate. Na primeira chamada, o pai da jovem ouviu gritos da adolescente, aparentemente o último sinal de vida de Anneli-Marie, mas na segunda, os raptores recusaram-se a dar provas de que a jovem ainda estava viva.

Ainda que a polícia tenha começado desde logo a investigar o caso, os pais estavam dispostos a pagar o resgate aos criminosos para poderem “ter a filha nos braços o mais breve possível”.

Os detidos estão acusados dos crimes de rapto e homicídio.