O grupo terrorista Boko Haram raptou a a mulher do vice-primeiro ministro dos Camarões, Ahmadou Ali, durante um ataque a Kolofata, uma cidade no norte dos Camarões, próxima da Nigéria, este domingo.

A notícia foi dada por Felix Nji Formekong, um comandante militar na região, acrescentando que os seguranças do vice-primeiro ministro conseguiram levá-lo para fora da cidade em segurança.

«Alguns deles [Boko Haram] levaram a mulher do vice-primeiro ministro, Ahmadou Ali, e a sua empregada enquanto os seguranças conseguiram levá-lo para fora da cidade até Mora», informou Formekong.

Pelo menos três pessoas morreram durante o rapto.

Segundo Formekong, o Boko Haram ainda está em Kolofata em lutas com militares dos Camarões.

Recorde-se que, em abril, a organização terrorista despertou a atenção da comunidade internacional depois do rapto de mais de duzentas crianças numa escola secundária em Chibok, Nigéria.

Mas os seus ataques, conhecidos pela violência extrema, perduram há vários anos. Só no nordeste do país já terão levado à morte de mais de quatro mil pessoas e terão forçado mais de meio milhão a abandonar as suas casas, segundo uma estimativa do International Crisis Group.

Boko Haram quer dizer, literalmente, «a educação ocidental é um pecado». Os rebeldes, que atuam sobretudo no norte da Nigéria, lutam pela criação de um estado islâmico nesta região, onde a maioria da população é muçulmana.