Barcelona foi esta quinta-feira palco de um ataque terrorista. Pode acompanhar aqui os pontos essenciais dos últimos acontecimentos.

  • Pelas 16:15, a polícia catalã informa no Twitter que ocorreu um atropelamento massivo nas Ramblas, em Barcelona, levado a cabo por um suspeito, numa carrinha branca.
  • A carrinha que atropelou várias pessoas no separador central da avenida foi intercetada depois de percorrer mais de 500 metros, mas o condutor conseguiu fugir a pé.
  • Pelas 17:30, a polícia confirma que este é um atentado terrorista e que colocou em marcha o protocolo de emergência terrorista.
  • Pelas 18:00, é divulgada a imagem do suspeito do atropelamento, Driss Oukabircom 1,70 metros, vestindo um polo branco.
  • À mesma hora, a informação oficial é apenas de um morto, 32 feridos, 10 em estado grave.
  • Pelas 19:00, a polícia informa que não há nenhum homem barricado num café, como fora adiantado por meios de comunicação social.
  • É feita uma detenção pela polícia, que anuncia estar o ataque a ser tratado como atentado terrorista.
  • Pelas 19:30, o conselheiro do Interior fez um novo balanço oficial de vítimas: 13 mortos e mais de 50 feridos, dos quais pelo menos dez em estado grave.
  • Pelas 20:15, o governo catalão reviu o número de mortos e feridos: 12 pessoas perderam a vida, 80 ficaram feridas e estão hospitalizadas, 15 delas em estado grave.
  • A Casa Real espanhola difundiu mensagem na rede Twitter: "São uns assassinos, simplesmente criminosos que não nos vão atemorizar. Toda a Espanha é Barcelona. As Ramblas voltarão a ser de todos".
  • Ao início da noite, há duas detenções de suspeitos confirmadas, mas nenhuma delas é do condutor da carrinha.
  • Um terceiro indivíduo foi abatido durante a tarde por tentar passar uma barreira policial, mas a sua relação com o atentado é afastada.
  • A polícia procedeu à retirada de todas as pessoas de estabelecimentos na zona das Ramblas.
  • Às 20:30, o Estado Islâmico reivindicou o ataque, segundo a agência AMAQ, citada pela Reuters.
  • Pelas 21:30, Proteção Civil e serviços de emergência fazem novo balanço: 13 mortos e 80 feridos, 15 em estado grave
  • Pelas 22:00, o governo catalão adiantou que, afinal, há mais de 100 feridos.
  • Às 22:38, a zona das Ramblas é aberta à circulação de pessoas, mas não de viaturas;
  • Já depois da meia-noite, o primeiro-ministro espanhol, que chegara a Barcelona, decreta três dias de luto nacional.
  • À 1:00 local, meia-noite em Lisboa, Proteção Civil catalã confirma haver vítimas com as seguints nacionalidades: França, Alemanha, Espanha, Holanda, Argentina, Venezuela, Bélgica, Austrália, Hungria, Peru, Irlanda, Grécia, Cuba, Macedónia, China, Itália, Roménia e Argélia.
  • Em Lisboa, secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Luis Carneiro, confirma não haver portugueses entre as vítimas do atentado.
  • Sexta-feira, ao meio-dia local (11:00 em Lisboa) será cumprido um minuto de silêncio em Barcelona, com a presença já confirmada do rei Felipe VI.

Atentado em Barcelona AO MINUTO