A apresentadora da BBC Radio 5 Rachael Bland morreu esta terça-feira, dois dias depois de uma despedida emotiva no Twitter. A confirmação da morte foi dada pelo marido, Steve, também através daquela rede social.

"A nossa corajosa e linda Rachel morreu pacificamente esta manhã, cercada pela família próxima. Nós todos estamos de coração partido e a lacuna que ela deixa na nossa perfeita pequena família nunca será preenchida", escreve Steve, na conta de Twitter da locutora.

No mesmo texto, Steve agradeceu o apoio de amigos e ouvintes: "Vocês nunca saberão o quanto essas mensagens foram importantes para ela e para nós. Sentiremos muito a falta dela, mas não poderíamos estar mais orgulhosos do que ela alcançou aos 40 anos. E estamos sinceramente confortados pelo impacto que ela deixou em tantas vidas. Obrigado."

Rachel tinha 40 anos e um filho de dois. Em novembro de 2016 tinha-lhe sido diagnosticado um cancro na mama. Em dezembro, começou os tratamentos de quimioterapia e foi submetida a uma mastectomia. Menos de dois anos depois, foi informada de que o cancro se tinha espalhado e já não teria cura.

Há dois dias, publicou uma despedida emotiva no Twitter.

"Nas palavras do lendário Frank Sinatra, temo que o momento tenha chegado, meus amigos. E repentinamente. Foi-me dito que tenho dias (de vida). É muito surreal. Muito obrigada a todos pelo apoio que tenho recebido.”

Rachel era também apresentadora do podcast “You, me and Big C” (o C é uma referência ao cancro), com Deborah James e Lauran Mahon, também elas passaram por tratamentos contra o cancro. O podcast fala precisamente sobre a doença, a partir da experiência pessoal das apresentadoras.

Era autora do blog “Big C. Little Me” e trabalhava na BBC há mais de 15 anos.