A noite costuma ser a rainha da festa do casamento. Há três anos, quando Kate Middleton estava a um passo de se tornar membro da família real britânica e hipotética rainha de Inglaterra no futuro, alguém ofuscou a noiva à entrada da igreja: a irmã da noiva. Mais propriamente o traseiro de Pippa Middleton, a irmã mais nova, muito delineado num vestido branco e que segurava o véu e o vestido da noiva.

Foi uma dupla revelação não esperada por ninguém. Quando todos ansiavam saber como seria o vestido de Kate, ninguém imaginou que o rabo de Pippa desse tanto que falar. Até o príncipe Harry, o irmão do noivo, parece ter sido apanhado de surpresa, como recorda a autora do estudo de três páginas, Janet McCabe, que apresentou o trabalho na Universidade de Londres. Felizmente, William é que só tinha olhos para a noiva.

Janet McCabe defende a sua tese dizendo que «a popularidade das curvas de Pippa Middleton tem algo importante a dizer-nos acerca do modelo feminino ideal», como cita o «The Guardian».

E lá porque o trabalho só tem três páginas, isso não lhe retira mérito, recordadndo o jornal que a tese de James Watson, que em 1953, descobriu o ADN, só tinha uma página.

A verdade é que Pippa, seja qual for o seu título, se tornou uma celebridade por todos os lados e está agora a participar numa prova de ciclismo com uma associação britânica que ajuda doenças do coração. A bicicleta também ajuda a moldar as curvas.