O cartoonista argentino Joaquín Salvador Lavado Tejón, conhecido como Quino, foi galardoado com o prémio Príncipe das Astúrias de Comunicação e Humanidades 2014. O anúncio foi feito esta quarta-feira.

Quino ficou conhecido como criador de Mafalda, uma menina que filosofava sobre o dia-a-dia. O júri destacou que «a obra de Quino tem um enorme valor educativo e foi traduzida para muitas línguas, o que revela sua dimensão universal. Os seus personagens transcendem qualquer geografia, idade e condição social».

«Ao completar o 50º aniversário do nascimento de Mafalda, as lúcidas mensagens de Quino continuam vigentes por terem combinado com sabedoria a simplicidade no traço do desenho com a profundidade de seu pensamento», afirmou o diretor do Instituto Cervantes e presidente do júri, Víctor García de la Concha.

A primeira tira de Mafalda foi publicada em 29 de setembro de 1964 na revista «Primera Plana» de Buenos Aires.

Quino estava entre os favoritos, juntamente com o jornalista mexicano Jacobo Zabludovsky e o filósofo Emilio Lledó.

Em 2013, o prêmio Príncipe das Astúrias de Comunicação e Humanidades distinguiu a fotógrafa americana Annie Leibovitz.