O Governo português congratulou-se esta sexta-feira com a atribuição do Prémio Nobel da Paz ao Quarteto para o Diálogo Nacional na Tunísia e destacou o seu “papel decisivo” na transição democrática no país magrebino.

“O Governo Português congratula-se com a atribuição do Prémio Nobel da Paz ao Quarteto constituído pela União Geral Tunisina do Trabalho, a União Tunisina da Indústria, Comércio e Artesanato, a Liga de Defesa dos Direitos Humanos e a Ordem Nacional dos Advogados da Tunísia, cujo papel no processo de transição democrática na Tunísia foi decisivo e constituiu um exemplo para a promoção da paz e da estabilidade na região e no mundo”, refere uma nota do Ministério dos Negócios Estrangeiros.

No comunicado, o Governo também felicita “as autoridades e o povo tunisinos pela determinação e empenho para com a consolidação do processo de construção de uma sociedade democrática e pluralista”.

O Comité Nobel Norueguês atribuiu esta manhã o Prémio Nobel da Paz ao Quarteto para o Diálogo Nacional na Tunísia pela contribuição para a construção de uma democracia pluralista após a Revolução de Jasmim de 2011, anunciou hoje a instituição.

O Quarteto, lembrou o Comité Nobel Norueguês, foi formado no verão de 2013 após o processo de democratização ter ameaçado colapsar após uma onda de assassínios políticos e de manifestações de protesto.

Para o Comité Nobel, as quatro instituições criaram um processo político alternativo e pacífico numa altura em que o país estava à beira de uma guerra civil.