O Presidente da Rússia, Vladimir Putin, afirmou, este domingo, que o Governo de Moscovo não pode ficar parado quando há pessoas a ser mortas na Ucrânia.

Segundo a agência Reuters, que cita uma entrevista ao canal russo «TV Channel 1», Putin garante que há pessoas a ser «alvejadas à queima-roupa» e que a Rússia não pode «olhar para o lado».

«Deve ser levado em conta que a Rússia não pode manter-se à parte quando há pessoas a ser alvejadas praticamente à queima-roupa [na Ucrânia]» disse Putin, segundo a agência russa ITAR TASS.

Já quando questionado sobre o fim do conflito, o Presidente russo afirmou que essa é uma questão cuja resposta depende do Governo ucraniano.

«[O fim do conflito] depende largamente da vontade política das autoridades ucranianas», disse Putin.

Ucrânia libertou soldados russos que atravessaram a fronteira

Já do outro lado da fronteira, a Ucrânia libertou os 10 soldados russos que foram detidos há uma semana após cruzarem ilegalmente a fronteira, anunciou hoje o comandante adjunto das Forças Aerotransportadas da Rússia, Alexéi Ragozin.

«As negociações não foram nada fáceis. Contudo, reinou o senso comum e tudo terminou bem. O importante é que os rapazes já estão connosco na Rússia. Quero sublinhar que nunca abandonamos os nossos», disse o general russo a agências locais, citadas pela Efe.

Vladimir Putin, já tinha assegurado esta semana que o líder ucraniano, Petro Poroshenko, lhe tinha prometido libertar os soldados russos, que cruzaram a fronteira por engano, segundo o Kremlin.

Também a Rússia terá libertado 63 soldados ucranianos que atravessaram a fronteira na última semana.