O presidente Partido Socialista Europeu (PSE) acusou hoje o líder do Partido Popular Europeu (PPE) de fazer declarações "irresponsáveis" e "anti-democráticas" sobre as negociações entre partidos da esquerda portuguesa para a formação de um novo Governo.

Esta posição do búlgaro Sergei Stanishev foi transmitida em comunicado, depois de o presidente do PPE, o francês Joseph Daul, ter criticado o processo negocial em curso em Portugal entre PS, PCP e Bloco de Esquerda, tendo em vista a formação de um novo Governo.

Joseph Daul comparou Portugal à Grécia no que toca à situação atual, alertando que "quem está a brincar com a situação", perdendo cinco ou seis meses, pode trazer para Portugal custos económicos elevados e esforços adicionais aos portugueses.

Para o presidente do PSE, estas palavras de Joseph Daul foram "irresponsáveis, não respeitaram os princípios básicos da democracia e constituíram uma tentativa de amedrontar a opinião pública".

"A família socialista continua unida em relação ao PS e ao seu líder, António Costa, e apoia totalmente os seus esforços para formar um Governo estável em Portugal, que permita ao país entrar numa nova conjuntura de criação de emprego e crescimento económico. Nas últimas eleições legislativas, os eleitores portugueses foram muito claros em atribuir uma forte maioria (62 por cento) de rejeição às políticas de austeridade dos últimos quatro anos", sustentou o líder do PSE.

Na perspetiva de Sergei Stanishev, é agora uma competência do parlamento português a criação das necessárias condições políticas para a criação de um Governo "estável, suportado por uma forte maioria parlamentar".

"É agora evidente que a coligação de direita [PSD/CDS-PP] não é capaz de formar essa maioria e que António Costa e o PS são a única força política que pode obter o apoio de outros partidos no parlamento português", defendeu o dirigente socialista búlgaro.

No mesmo comunicado, o presidente do PSE deseja ainda a António Costa e ao PS votos de "sucesso" nas conversações políticas para a formação de um novo Governo", tendo em vista "implementar novas políticas que coloquem Portugal e a União Europeia no caminho do progresso".

"O PS sempre foi o partido liderante em Portugal no processo de integração europeia e o novo Governo, liderado por António Costa, respeitará integralmente os compromissos europeus de Portugal", acrescenta Sergei Stanishev.