Pelo menos três luso-descendentes foram presos quinta-feira pelas autoridades venezuelanas na sequência de uma operação surpresa em que foram desmantelados vários acampamentos de manifestantes, revelaram à agência Lusa fontes ligadas à defesa dos detidos.

«Há pelo menos três luso-descendentes entre os detidos. É difícil saber, apenas pelo nome, quem é descendente de portugueses, porque muitas vezes os sobrenomes não são iguais aos dos familiares, como acontece com o 'Coelho' e o 'Coello', o 'Rodrigues' e o 'Rodríguez'», disse uma das fontes.

Admitindo que a quantidade de luso-descendentes detidos pode ser significativamente maior, a mesma fonte precisou que os três luso-descendentes estão identificados como António Gerald Gonçalves Pereira, de 23 anos, Cynthia Karina Seabra da Silva, de 21 anos, e Francisco José de Freitas Carvalho, de 21 anos, todos eles estudantes universitários.