Um tribunal especial do estado indiano de Gujarat condenou esta segunda-feira a prisão perpétua 11 dos 24 condenados pela morte de 69 pessoas durante os confrontos religiosos ocorridos na região em 2002.

Nos massacres perderam a vida mais de mil pessoas, sobretudo membros da minoria muçulmana.

O Tribunal Especial de Ahmedabad classificou o massacre como o momento “mais negro da história da sociedade civil” e condenou a penas perpétuas 11 dos acusados que tinham sido apontados como culpados de assassínio, disseram fontes judiciais aos jornalistas presentes na sessão.