Tony Fernandes. O apelido, bem português, é do presidente da companhia aérea Air Asia, que perdeu este domingo o rasto a um avião que fazia a ligação entre a Indonésia e Singapura, com 162 pessoas a bordo. O responsável pela companhia utilizou o Twitter para lamentar o que aconteceu, confessando que é o seu «maior pesadelo».
 
Mostrando-se, assim, «emocionado» pelo «apoio» que está a receber das restantes companhias aéreas, o presidente Air Asia  dirige, também, uma mensagem a todos para dizer que os seus «únicos pensamentos estão com os passageiros e com a [sua] tripulação», manifestando «esperança» nas operações de busca e resgate.
 
O seu lema, segundo o «The Telegraph» é «sonhar o impossível"». Desde criança que sonhou criar a primeira companhia aérea de baixo custo da Ásia. A sua carreira no mundo dos negócios não começou, no entanto,  no setor da aviação. Hoje, num dia de pesar, pede a todas as suas «estrelas da Air Asia», como classifica os seus funcionários, que sejam «fortes», que continuem a fazer «o seu melhor» e que «rezem»:

 
São várias as mensagens de apoio que está a deixar no Twitter, lembrando que é o CEO da empresa, o presidente executivo, para os bons e maus momentos, prometendo que «juntos», vão ultrapassar esta «difícil provação»:
 
Termina a catadupa de tweets reforçando que a «prioridade» é cuidar e pôr ao corrente todos os familiares do pessoal de voo e dos passageiros. «Faremos tudo o que pudermos», garante.

Perfil de Tony Fernandes

Estudou na London School of Economics e terminou revisor oficial de contas. Depois, lançou-se na indústria da música, como controlador financeiro da Virgin Communications e da Warner Music International de Londres, passando depois para a mesma empresa na Malásia, tendo chegado a cargos de topo.



Quando a indústria da música começou a ser desafiada pelas oportunidades apresentadas pela internet, Tony Fernandes decidiu repescar o seu sonho de infância.

Em 2001, aos 37 anos, comprou a altamente endividada companhia aérea Air Asia. Não tinha experiência de gestão no setor, mas isso não o demoveu e conseguiu criar a companhia aérea de baixo custo que queria, nos moldes ocidentais.

Em 2002, a Air Asia tinha apenas duas aeronaves, mas com Tony Fernandes passou a ter 86 aviões, transportando 30 milhões de passageiros no final da década.



O CEO tem, ainda, negócios no ramo automóvel e é presidente de um clube de futebol da Premier League inglesa, o Queens Park Rangers.