Os primeiros manifestantes que estão contra o presidente Mohamed Mursi reuniram-se este domingo no Egito para exigir a renúncia do chefe de Estado, mas os partidários do governo também estavam mobilizados, o que provoca o receio de uma explosão de violência no primeiro aniversário de Mursi no poder.

No Cairo, os manifestantes seguiam para praça Tahrir, onde centenas de pessoas passaram a noite, antes do grande ato programado para a tarde de domingo para exigir a renúncia de Mursi.

Antes da manifestação, organizada no dia em que a posse de Mursi como presidente completa um ano, os opositores exibiram faixas contra o presidente na praça, símbolo da revolta que derrubou o presidente Hosni Mubarak em 2011.