O opositor venezuelano,Antonio Ledezma foi libertado e já se encontra em casa, de novo em prisão domiciliária. A informação foi comunicada  pela mulher de Antonio Ledezma, esta sexta-feira, através da rede social Twitter. 

Antonio disse ao entrar no apartamento que volta com a angústia que Leopoldo López (opositor preso, esta terça-feira) e mais de 600 prisioneiros políticos continuam atrás das grades", disse a mulher de Antonio no tweet do opositor venezuelano.

Agradecemos ao povo da Venezuela e a comunidade internacional pela preocupação e grande solidariedade dos vizinhos", acrescentou.

Recorde-se que os opositores venezuelanos Leopoldo López e Antonio Ladezma, encontravam-se em regime de prisão domiciliária, e que foram levados para parte incerta pelos serviços de informações do regime, na última terça-feira.

A detenção aconteceu dois dias depois das eleições para a Assembleia Constituinte, no domingo, um escrutínio marcado por violência e repressão policial. Pelo menos dez pessoas morreram e existem acusações de fraude eleitoral.

Horas depois da detenção do líder da oposição, Antonio Ledezma,  o Tribunal Supremo de Justiça venezuelano (TSF)  colocou na rede social,Twitter, que as medidas aplicadas ao líder politico tinham sido alteradas, "uma vez que se verificou o incumprimento das condições impostas”.

Recebemos informação que dava conta de um plano de fuga destes cidadãos”, afirmou o tribunal, no Facebook.

O tribunal também destacou o facto de Antonio Ledezma ter restrições que não permitiam “realizar nenhum tipo de propaganda politica”. Ou seja, enquanto o líder da oposição tinha “a obrigação de se abster de qualquer comentário em qualquer meio.”

O advogado de Antonio Ledezma, disse a BBC que “de forma alguma” os comentários de lideres da oposição, nas redes sociais, violam as restrições domiciliares.