Dois passageiros foram impedidos de embarcar num voo Chicago-Filadélfia, na quarta-feira, porque discutiam em árabe, o que mostra o ambiente de nervosismo associado aos atentados em Paris, que originou situações similares em outros voos nos EUA.

Maher Khalil e Anas Ayyad, cidadãos dos EUA de origem palestiniana, iam subir para um aparelho da Southwest Airlines quando um empregado da companhia norte-americana lhes indicou, desculpando-se que não podiam embarcar, porque outro passageiro estava com medo de voar com eles, depois de os ouvir falar árabe.

Os dois amigos foram interrogados pelo serviço de segurança do aeroporto de Chicago Midway, bem como pela polícia, tendo sido finalmente autorizados a embarcar.