As autoridades da pequena localidade norte-americana de Shirley, nos arredores de Nova Iorque, encontraram uma casa com 850 cobras, incluindo seis da espécie piton da Birmânia. Os répteis, proibidos no estado de Nova Iorque, eram criados na garagem da residência por um oficial de controlo animal, que os comercializava ilegalmente.

De acordo com as autoridades, citadas pela CNN, Richard Parrinello mantinha as cobras devidamente alojadas em contentores e à temperatura ambiente adequada.

«Todos os répteis aparentavam estar de boa saúde e muito bem tratados. Eram instalações bem apetrechadas, muito limpas e organizadas, era um negócio», refere Roy Cross, da Sociedade Americana para a Prevenção da Crueldade contra Animais.

As piton da Birmânia, uma espécie em vias de extinção, foram entretanto transferidas para um santuário animal em Massachusetts.

As autoridades descobriram as cobras de Richard Parrinello no decurso de uma investigação a baixas médicas fraudulentas. Parinello tem trabalhado de forma intermitente desde 1988 como oficial de controlo animal para a cidade de Brookhaven, explica Jack Krieger, um porta-voz do município, citado pela CNN.

Fiscais à paisana «apanharam-no» a dizer que tinha répteis no valor de 500 mil dólares (370 mil euros), incluindo cobras, tartarugas e ovos de tartaruga, numa garagem que tinha transformado num «habitat» adequado.

Richard Parrinello está a cooperar com as autoridades e enfrenta agora várias acusações por posse de répteis e por manter um negócio em casa sem autorização legal.