Um tribunal militar antiterrorista condenou à morte seis homens por envolvimento no atentado que matou cerca de 140 pessoas numa escola em Peshawar, Paquistão, em dezembro de 2014, anunciou esta quinta-feira o exército em comunicado. As vítimas mortais, na maioria, foram crianças.

O mesmo tribunal paquistanês condenou também à morte um homem pelo papel num ataque contra soldados em karachi, no sul do país. Um outro homem envolvido no ataque foi entretanto condenado a prisão perpétua, noticia a AFP.

 As autoridades paquistanesas, noticia a BBC, garantem que os alegados autores do ataque em Peshawar, militantes talibãs, tiveram um "julgamento justo."

O atentado, realizado contra uma escola pública do exército paquistanês, chocou o país e levou o governo a levantar uma moratória de sete anos à pena de morte, restabelecendo também os tribunais militares para julgar casos de terrorismo.

Desde então, cerca de 200 pessoas já foram executadas, mesmo que nem todas tenham sido condenadas por atos terroristas.

Em declaração, publicada online, o exército do Paquistão anunciou que sete talibãs foram considerados culpados de envolvimento no atentado: seis foram condenados à morte e um a pena de prisão perpétua.