O ex-presidente do Paquistão Pervez Musharraf foi novamente submetido a prisão domiciliária por causa de uma sangrenta operação militar do exército a uma mesquita de Islamabad que provocou mais de 50 mortos, informou hoje a polícia paquistanesa.

A detenção de Musharraff, presente a tribunal na sexta-feira, ocorreu um dia depois de o ex-presidente ter pago fiança no âmbito de outro processo, ao abrigo do qual esteve em prisão domiciliária durante seis meses.

«Atribuímos a prisão domiciliária de Musharraf por causa de um processo relacionado com uma operação militar numa mesquita de Islamabad», justificou Muhammad Rizwan, da polícia na capital paquistanesa, citado pela AFP.