Um homem de 31 anos, residente no Texas, Estados Unidos, morreu depois de ir nadar, no Golfo do México, com uma tatuagem que tinha sido feita poucos dias antes. O caso foi relatado no jornal médico BMJ Case Reports.

Segundo a CNN, o homem tatuou uma cruz e umas mãos em posição de oração, com a frase “Jesus é a minha vida”, na perna direita.

Um dos alertas feitos pelos tatuadores passa por manter a tatuagem limpa e o mais seca possível, evitando banhos longos e nadar. Alertas que a vítima ignorou. O rapaz, de origem hispânica e não identificado, foi nadar para o Golfo do México, cinco dias depois de ter feito uma tatuagem nova.

O homem, que terá sido avisado pelo tatuador de que não podia nadar no mar ou em piscinas durante as duas semanas seguintes à realização da tatuagem, deu entrada no hospital Parkland Memorial, em Dallas, três dias depois do incidente. 

As queixas do hispânico, que já tinha um historial clínico complicado e que sofria de cirrose devido ao consumo excessivo de cerveja, prendiam-se com dores intensas nas pernas e nos pés, febre, calafrios, vermelhidão na tatuagem e uma espécie de bolhas no corpo.  

Depois de detetada a presença de Vibrio Vulnificus, uma bactéria que costuma estar presente na água do mar e que pode provocar infeções, o estado clínico do homem piorou rapidamente. Após dois meses de internamento, o rapaz acabou por morrer.