Um grupo de pedófilos que violava crianças e publicava vídeos dos abusos na internet foi descoberto no Reino Unido, tendo dois indivíduos já sido condenados em tribunal.
 
Segundo o "Daily Mail", as autoridades britânicas detetaram 11 suspeitos, resgataram 24 crianças e já identificaram três vítimas: um bebé e duas crianças em idade pré-escolar. No entanto, há ainda mais 69 suspeitos espalhados pelo mundo, que ainda estão a ser investigados.
 
Os criminosos procuravam mulheres com filhos de quem se aproximavam para chegar às crianças, e num dos casos escolheram até uma mulher grávida para depois abusarem da criança recém-nascida.
 
Quando conseguiam algum tempo sozinhos com as vítimas, muitas vezes, informavam os outros membros do grupo, que chegavam a fazer longas distâncias para participarem nos crimes, disse fonte da polícia à BBC. Quem não pudesse estar presente podia ver os abusos através de sites e programas de teleconferência na internet.
 
Pelo menos o bebé terá sido abusado por três dos suspeitos durante nove meses, enquanto outros seguiam as imagens através da web.
 
Um destes pedófilos chegou a levantar-se às quatro da manhã, fez dezenas de quilómetros para se juntar a outro abusador, cometer o crime e ainda conseguir regressar a tempo de entrar ao trabalho.
 
Há suspeitas que o grupo também drogava as crianças.
 
Apesar de negarem as acusações, John Denham, 49 anos, e Matthew Stansfield, de 34, foram condenados pelo Tribunal de Bristol pelos crimes de planear abusos sexuais e conspiração para cometer agressão sexual. Os outros cinco membros já tinham admitido numa audiência anterior vários dos crimes a que estão acusados, como violação, abuso sexual de crianças e intenção de violar menores.

A investigação foi levada a cabo pela National Crime Agêncy, depois de um dos suspeitos, Adam Toms, 33 anos, se ter entregado numa esquadra da polícia em Somerset, em setembro, e ter confessado a violação de uma criança com menos de cinco anos.

Foi a partir do seu telemóvel e computador que os investigadores encontraram os restantes suspeitos.

O resto do grupo tentou destruir provas dos crimes, como conversas online, mas as autoridades conseguiram recuperar o suficiente para a acusação.

Durante o julgamento, Denham, um ex-ator, confessou que ficou "dessensibilizado" para a pornografia de menores depois de ver um vídeo de uma adolescente a ter relações com um homem. A partir daí as idades foram "descendo e descendo".

Ainda segundo o "Daily Mail", três dos suspeitos, onde se inclui Stansfield, já tinham antecedentes criminais e estavam na lista de criminosos sexuais do Reino Unido. A polícia está agora a investigar que esforços foram, ou não, feitos para os monitorizar.

O diretor-adjunto de investigações da NCA, Graham Gardner, mostrou-se chocado com o caso, que considerou dos "mais depravados" que já viu.

"Raramente vemos comportamentos criminais que envolvem abuso sexual de crianças a este nível. Isto é o crime organizado no seu pior. A perversidade destes homens aparenta não ter limites e é sem dúvida a mais depravada que já vi".

 
A pena aplicada será determinada numa audiência posterior, ainda por agendar.