Chama-se PDS 70b e é o mais recente planeta capturado pelo caça-planetas do Observatório Europeu do Sul (ESO). O ponto de luz ao lado de um círculo negro foi capturado pela primeira vez depois de atravessar um disco de gás e poeira a partir do qual se formou.  

A primeira imagem deste planeta acabado de nascer, e que ainda se está a formar na galáxia, foi capturada pelo Sphere, o instrumento que caça-planetas do telescópio VLT do ES.

Segundo os artigos publicados no jornal Astronomy & Astrophysics, o planeta brilhante e redondo pode ser visto dentro do disco de gás e poeira perto da estrela anã PDS 70. Sabe-se já que é gasoso, maior do que Júpiter e com uma temperatura a rondar os mil graus celsius.

Quanto à localização do PDS 70b, os investigadores perceberam que se encontra a três mil milhões de quilómetros da estrela anã PDS 70, perto então do sítio onde nasceu e onde vai continuar a crescer. 

Para os investigadores, esta descoberta foi "incrivelmente desafiadora", uma vez que o Sphere apesar de ter usado o coronógrafo para bloquear a estrela, teve que ainda que detetar o sinal do planeta de outras formas. 

Depois de mais de uma década de esforços para construir esta máquina de alta tecnologia, vamos conseguir descobrir novos planetas", disse o diretor do Insituto Max Planck de Astronomia, Thomas Henning.