O deputado liberal australiano Tim Wilson pediu, esta segunda-feira, a mão do namorado em casamento, em plena sessão parlamentar, em que se discutia precisamente a legalização do casamento entre pessoas do mesmo sexo. Tim Wilson faz parte do mesmo partido do primeiro-ministro australiano Malcolm Turnbull e que pertence à coligação que compõe o Governo conservador australiano.

Tim Wilson, de 37 anos, aproveitou o debate sobre o casamento entre pessoas do mesmo sexo, a que assistia o namorado, Ryan Belger, e propôs que os dois formalizassem a relação de sete anos. O deputado é um dos defensores de um projeto de lei que deve, em breve, garantir o direito ao casamento entre homossexuais na Austrália.

Este debate tem sido uma espécie de banda sonora para a nossa relação. Ambos sabemos que este assunto não é a razão pela qual nos envolvemos na política – dêem-nos a reforma tributária. Mas, no meu primeiro discurso, defini o nosso vínculo pela aliança que está nas nossas mãos esquerdas e que é a resposta para as questões que não podemos colocar”, começou por dizer.

Depois, já com a voz embargada, acrescentou:

Só resta fazer uma coisa: Ryan Patrick Bolger, queres casar comigo?”

Ryan Belger, o professor primário de 33 anos com quem divide a vida há pelo menos sete anos, respondeu “sim” e o parlamento irrompeu em palmas aos noivos.

A Câmara baixa do Parlamento australiano aceitou debater o fim da proibição do casamento homossexual no país. Os partidos com maior representação parlamentar querem votar a proposta ainda nesta semana. Uma consulta popular, realizada no mês passado, mostrou que a maioria dos australianos apoia a igualdade de união.

O primeiro-ministro, Malcolm Turnbull, um dos defensores do casamento entre pessoas do mesmo sexo, frisou a importância do ato de Tim Wilson: “A mensagem hoje para todos os homossexuais deste país é clara. Nós gostamos de vocês, nos respeitamo-vos, a vossa relação é reconhecida pela Commonwealth como legítima e honrada como a de qualquer outra pessoa.”