O proprietário do passaporte sírio encontrado junto a um dos terroristas dos ataques de sexta-feira à noite em Paris passou pela Sérvia no mês passado e pediu asilo.
 
“Um dos terroristas suspeitos, A. A., que é do interesse das agências de segurança francesas, foi registado na fronteira de Presevo a 7 de outubro, onde pediu formalmente asilo", disse o ministro do Interior sérvio, em comunicado citado pela Reuters.
 
Segundo o mesmo ministro, a investigação já confirmou que se trata da mesma pessoa que, a 3 de outubro, foi identificada na Grécia.
 

“Não foi emitido um mandado da Interpol contra esta pessoa.”

 
A fronteira de Presevo separa a Sérvia da Macedónia.
 
As autoridades gregas disseram, no sábado, que o passaporte pertencia a um refugiado que chegou à ilha de Leros a 3 de outubro.
 
Falta confirmar se o suspeito que morreu nos ataques de sexta-feira é o proprietário do passaporte, ou se o terá comprado ou roubado.
 

Passaporte egípcio pertencia a uma vítima


O embaixador egípcio em França revelou hoje que o passaporte deste país encontrado no local de uma das explosões no Estádio de França pertencia a uma vítima e não a um terrorista.

Segundo o embaixador Ihab Badawi, citado pela televisão egípcia CBC, o passaporte pertencia a Waleed Abdel-Razzak, um adepto que ia ver o jogo e que ficou gravemente ferido no ataque.

Siga toda a informação sobre os ataques de Paris AO MINUTO.