Cinco estudantes feridos e dois deles detidos pelas autoridades é o balanço provisório de protestos na noite de quarta-feira na urbanização «Terrazas del Ávila», a leste de Caracas.

No protesto participaram estudantes da Universidade Metropolitana e da Universidade Santa Maria que bloquearam os acessos àquela localidade com barricadas e pneus incendiados, numa ação que exigia a libertação de colegas detidos.

Segundo o presidente da Associação de Moradores de «Terrazas del Ávila», José Antonio García, as forças de segurança tentaram dispersar os manifestantes que reagiram à atuação policial.

Seis paramilitares «muito perigosos» detidos

As autoridades venezuelanas detiveram, já esta quinta-feira, seis alegados paramilitares considerados «muito perigosos» durante uma operação realizada por militares na localidade de La Popa, no estado de Táchira, a sudoeste de Caracas.

«Estes paramilitares são muito perigosos, pelo que foram transferidos para um centro militar em Caracas. Estamos a investigar cada palmo de terreno à procura deste tipo de grupos (paramilitares)», anunciou o governador de Táchira, José Gregório Vielma Mora.

O mesmo responsável explicou que a detenção teve lugar no âmbito do programa governamental «Operação Fronteira Segura», da responsabilidade do exército venezuelano, e no momento da detenção os paramilitares transportavam quatro armas, várias granadas, duas pistolas e coletes de assalto.