O exército da Índia anunciou esta quinta-feira que realizou “ataques cirúrgicos” ao longo da fronteira de facto com o Paquistão, em Caxemira, para frustrar uma série de ataques que estavam a ser planeados contra importantes cidades.

Algumas equipas de terroristas posicionaram-se em plataformas de lançamento ao longo da Linha de Controlo”, disse o tenente-general Ranbir Singh, o diretor-geral das operações militares do exército, em referência à fronteira não oficiosa na dividida região de Caxemira.

“O exército indiano levou a cabo ataques cirúrgicos na noite passada nessas plataformas de lançamento. Baixas significativas foram causadas a estes terroristas e àqueles que estão a tentar apoiá-los”, disse o mesmo responsável, aos jornalistas, em Nova Deli.

Por sua vez, o exército paquistanês acusou a Índia de ter matado dois dos seus soldados no ataque lançado perto da linha de controlo que divide a disputada região de Caxemira.

As tropas paquistanesas responderam ao fogo indiano disparando sem provocação na linha de controlo”, disse o exército paquistanês, em comunicado, acrescentando que a troca de tiros, que durou entre as 02:30 e as 08:00 da manhã locais (menos cinco em Lisboa), provocou dois mortos entre os soldados do Paquistão.