O presidente do Parlamento Europeu (PE), Martin Schultz, disse esta quinta-feira, em Estrasburgo, que a atribuição do Prémio Sakharov à jovem ativista paquistanesa pela educação das raparigas Malala Yousafzai é o reconhecimento da sua «força incrível».

«Ao atribuir o Prémio Sakharov a Malala Yousafzai, o Parlamento Europeu reconhece a força incrível desta jovem. Malala bate-se com coragem pelo direito de todas as crianças à educação, um direito que é frequentemente negligenciado em relação às raparigas», disse Schulz, ao anunciar aos eurodeputados a vencedora do prémio.

A decisão de atribuir o Prémio Sakharov à jovem paquistanesa ¿ que sobreviveu a um atentado por defender a educação das raparigas no vale de Swat, onde o regime talibã as proibiu de frequentar a escola ¿ foi hoje tomada por unanimidade, pelos líderes dos grupos políticos do PE.

O presidente do PE recordou ainda «que cerca de 250 milhões de raparigas no mundo não podem ir livremente à escola», acrescentando que «o exemplo de Malala relembra-nos do dever e da responsabilidade de garantir o direito à educação das crianças. Este é o melhor investimento no futuro».