O papa Francisco pediu hoje à Igreja celeridade nos processos de anulação matrimonial e defendeu a sua gratuidade, informou o Vaticano.

«Há tanta gente que necessita e que espera que a Igreja se pronuncie sobre a sua situação matrimonial (…) Alguns processos são tão longos e pesados que as pessoas se cansam e abandonam-nos», disse o papa durante um encontro com os participantes de um curso sobre justiça canónica.

Segundo Francisco, a Igreja «tem que fazer justiça e dizer: "sim, é verdade, o teu casamento é nulo. Não, o casamento é válido". Mas é justo dizê-lo».

Durante o sínodo extraordinário sobre a família, que decorreu em outubro no Vaticano, «houve propostas sobre a gratuitidade que devem ser analisadas», disse.

«A Igreja é tão generosa que pode fazer justiça gratuitamente, como gratuitamente fomos perdoados por Jesus Cristo», adiantou o papa.

O referido curso sobre justiça canónica é organizado pelo Tribunal da Rota Romana.