O Papa Francisco afirmou este sábado que se pode falar de uma terceira Guerra Mundial na atualidade, que se desenvolve «por partes» entre «crimes, massacres e destruições». O Sumo Pontífice apelou à paz para travar a «loucura bélica».

De acordo com a Lusa, as afirmações foram feitas no cemitério militar de Fogliano Redipuglia, no norte de Itália, onde o Papa se deslocou para recordar os mortos da Primeira Guerra Mundial, quando se cumprem 100 anos sobre o início do conflito.

«Hoje, depois do segundo fracasso de uma guerra mundial, podemos falar de uma guerra combatida por partes, com crimes, massacres e destruições», afirmou Francisco.

«Como é possível isto? É possível, porque ainda hoje, nos bastidores, existem interesses, planos geopolíticos, avidez de dinheiro e poder. E há a indústria das armas, que parece ser tão importante!», disse também Francisco durante a missa a que presidiu, durante a manhã deste sábado, por ocasião do centenário da I Guerra Mundial.

«Com coração de filho, de irmão, de pai, peço a vós todos e para todos nós a conversão do coração: passar daquele "a mim, que me importa?" para o pranto. Por todos os mortos daquele "inútil massacre", por todas as vítimas da loucura da guerra de todos os tempos, a humanidade precisa chorar, e esta é a hora de chorar», acrescentou.