O papa Francisco pediu hoje o fim da violência e da vingança na República Centro-Africana, depois dos últimos ataques que fizeram inúmeras vítimas no país, entre as quais um sacerdote.

Francisco fez o pedido depois de rezar a oração Regina Coeli (oração rezada pelos católicos durante a época pascal, substituindo a oração do Angelus), na praça de São Pedro, no Vaticano.

O papa convidou os fiéis a rezarem pela população da República Centro-Africana, que disse “levar no coração” (…), “depois da grave violência dos últimos dias que deixou inúmeros mortos e feridos, entre os quais um sacerdote”.

Francisco visitou a República Centro-Africana em novembro de 2015.

Albert Toungoumale Baba é o padre que morreu num ataque a uma igreja católica na capital, Bangui.

“O senhor, com a intercessão da Virgem Maria, ajude a todos a não decidirem pela violência e pela vingança, mas para construírem juntos a paz”, sublinhou.

Os últimos ataques dos rebeldes afetaram integrantes das forças das Nações Unidas em Bangui. Pelo menos, 19 pessoas foram mortas e 98 ficaram feridas na onda de violência sectária na capital da República Centro-Africana, Bangui, com alvos que incluíram uma igreja, uma mesquita e instalações de saúde.

A República Centro-Africana vive um complicado processo de transição desde que, em 2013, os rebeldes Séléka derrubaram o Presidente François Bozizé, levando a uma onda de violência entre muçulmanos e cristãos, causando milhares de mortos e obrigando um milhão de pessoas a abandonarem os seus lares.