O papa Francisco reuniu-se este domingo em Filadélfia com duas vítimas de abusos sexuais cometidos por membros da igreja a quem prometeu que todos os responsáveis por esses crimes “vão prestar contas”.

“Os crimes, os pecados dos abusos sexuais a menores, não podem ser mantidos em segredo durante mais tempo”, disse o papa, no início de um encontro que mantem em Filadélfia com vários bispos.

No encontro, o papa disse que a instituição civil do matrimónio e o sacramento cristão já “não coincidem substancialmente” “nem se apoiam mutuamente” e apelou a que não se esqueça o contexto histórico.

"Deus chora pelo abuso sexual de crianças", disse o pontífice de 78 anos. "A juventude é protegida e... todos os responsáveis serão responsabilizados."

As informações sobre os abusos tornaram-se notícia em 2002. Grupos de vítimas disseram que a Igreja não fez o suficiente para combatê-los.

A estimativa é de que mais de 100 mil crianças norte-americanas tenham sido vítimas de abuso sexual por sacerdotes, segundo disseram especialistas de seguradoras num documento apresentado ao Vaticano em 2012.