A Organização das Nações Unidas (ONU) decidiu hoje acelerar a resposta à pandemia de SIDA para acabar com esta até 2030, apesar de um esforço dos russos para diluir o foco nos consumidores de drogas e homossexuais.

Uma declaração política foi adotada pela assembleia geral da ONU, onde se sublinhou a necessidade de ajudar consumidores de drogas por injeção, trabalhadores sexuais, homossexuais, pessoas transgénero e prisioneiros que estejam sob risco de contração do HIV.

A epidemia de HIV tem estado em declínio ao longo da última década, mas ainda existem 36,7 milhões de pessoas no mundo que vivem com o HIV/sida, na sua maioria na África subsariana.