O Programa Alimentar Mundial (PAM) anunciou esta segunda-feira a suspensão do seu programa de ajuda alimentar através de senhas de aquisição dirigidas a 1,7 milhões de refugiados sírios instalados nos países fronteiriços, ao alegar dificuldades financeiras.

A agência da ONU, com sede em Roma, argumentou «ter sido forçada» a suspender este programa dirigido aos «refugiados sírios pobres na Jordânia, Líbano, Turquia, Iraque e Egito».

Com estas senhas, os refugiados podiam comprar alimentos em diversos estabelecimentos desses países.

«Para os refugiados, que já têm de lutar para sobreviver a um duro inverno, as consequências do fim desta assistência vão ser devastadoras», indica o comunicado., que é citado pela Lusa.